Os entornos da Praça Portugal, no bairro Aldeota, estão todos decorados com girassóis, seja estampado nos semáforos na fase amarela ou pelas 70 mudas recém-plantadas nos canteiros. A ação faz parte da campanha nacional “Na direção da vida – Depressão sem Tabu”, que integra o movimento mundial Setembro Amarelo dedicado à prevenção do suicídio, com ações de valorização à vida. O projeto teve início nessa quinta-feira (26) e termina no domingo (29).

Ao primeiro sinal do Sol, o Girassol se curva de acordo com o movimento da luz. Por esse fenômeno da natureza, a planta foi escolhida como símbolo da campanha. Em Fortaleza, a ação foi feita em parceria com a Prefeitura, por meio da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) e Autarquia de Urbanismo e Paisagismo de Fortaleza (UrbFor).

Na manhã desta sexta-feira, foi realizado o plantio de 70 mudas de girassóis na praça. Além disso, a população que transitar no local das 11h às 14h deve receber uma muda de planta ornamental de pequeno porte. A ação é conduzida pela Associação Brasileira de Familiares, Amigos e Portadores de Transtornos Afetvos (ABRATA), Centro de Valorização da Vida (CVV) e pela área de Medicina interna da Pfzer.

As máscaras com o pictograma de um girassol nos semáforos no entorno da Praça Portugal foram instalados pela AMC nessa quinta-feira. Os motoristas que passam pelas avenidas da região são surpreendidos pela imagem da flor ícone da campanha quando a fase amarela dos semáforos for acesa. A produção é totalmente inédita e foi feita especialmente para a cidade de Fortaleza.

Segunda Juliana Coelho, gerente da Central de Monitoramento de Tráfego da AMC, cerca de 50 mil veículos serão impactados com essa ação na Praça Portugal. “A iniciativa é uma oportunidade de ganhar visibilidade para se ter um diálogo com a sociedade sobre o tema. Como órgão de trânsito, que também zela pela vida, temos o dever de apoiar a causa”, reforça a técnica.

Para sensibilizar o público para a causa do Setembro Amarelo, com informações educativas sobre o tema e dicas de como ajudar alguém que apresente comportamentos de risco, dois totens com QR code direcionarão à população para o espaço digital. Quem não tiver com acesso online também poderá ler informações resumidas sobre o manifesto da campanha em um dos totens.

Depressão e Suicídio

Mais de 90% dos casos de suicídio estão associados a distúrbios mentais e os transtornos de humor, como a depressão, que representa o diagnóstco mais frequente nesses casos.

A depressão é uma doença mental que requer tratamento com medicamentos e terapias. “Não é um estado humoral ou sentimental comum, é um estado patológico e deve ser levado a sério”, explica o psicólogo Alisson Maia. Conforme o profissional, as pessoas que estão com o transtorno estão sempre dando sinais e alerta para a importância de reconhecê-los e, assim, ajudá-las a procurar apoio médico.

“Hoje me sinto feliz, mas não tem explicação. Só quem passou por essa situação sabe, quando parecia que a única solução fosse aquela”, afirma a estudante de jornalismo, Lorena Pereira, no meio de lágrimas de emoção. No ano passado, a jovem foi diagnosticada com depressão, mas já convivia com a doença desde 2016. “Eu passei por crises pontuais, dentro dessas crises eu me reconheci dentro de outra pessoa. Um pequeno monstro tomando conta do meu corpo”, disse.

Com o tratamento, a jovem Lorena foi aos poucos retornando para sua rotina. Hoje, ela entende que a depressão possa ser superada com o apoio da família, dos amigos e, principalmente, com o apoio dos profissionais. “Ir ao médico, tomar os remédios, ver que tem uma solução”, disse.

Eu conseguia sobreviver. Eu me redescobri. Depois que eu me tratei eu virei uma pessoa nova. Quem já passou sabe que suicídio não é a solução, que tem tratamento, que a depressão é uma doença que pode ser tratada. A gente vai conseguir não só sobreviver, mas viver e da melhor forma

Fonte: Diário do Nordeste