No mesmo levantamento, do BTG Pactual/FSB, 27% afirmam que podem mudar de candidato, enquanto 1% não sabem ou não responderam

Pesquisa BTG Pactual/FSB divulgada nesta segunda-feira (30/05) aferiu a certeza de voto dos entrevistados sobre a disputa a presidente da República nas eleições gerais de 2022. Ao todo, 72% dos eleitores afirmam que a decisão está tomada e que não há chance de mudança. Já 27% dizem que podem mudar o escolhido, enquanto 1% afirma não saber ou não respondeu.

btg pactual intencoes de voto estimulada 1 1024x568 1Em outro cenário, os dados da decisão de voto foram cruzados com a intenção. Lula (PT) tem 80% de eleitores certos, com 20% afirmando que podem mudar de voto e 1% diz que não sabe ou não respondeu.
Na sequência, Jair Bolsonaro (PL) tem 79% de eleitores com a decisão já tomada, enquanto os outros dois números repetem os de Lula. Ciro Gomes (PDT) tem 44% de eleitores certos, 55% que podem mudar de candidato e 1% não sabe ou não respondeu.
Quanto a André Janones (Avante), 38% dizem que não mudam de voto, enquanto 53% admitem a possibilidade e 9% não sabem ou não responderam. Por fim, o eleitorado de Simone Tebet (MDB) está dividido: 37% têm certeza da escolha e não a alteram, enquanto 63% podem mudar o voto.
A pesquisa, quantitativa, foi realizada pelo Instituto FSB Pesquisa por meio de ligações telefônicas, entre os dias 27 e 29 de maio deste ano. Ao todo, dois mil eleitores foram entrevistados, com margem de erro de dois pontos percentuais e intervalo de confiança de 95%. O registro da pesquisa no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) é BR-03196/2022.

No cenário estimulado – quando os candidatos são apresentados aos eleitores – o petista alcançou 46%, cinco pontos percentuais a mais do que no último levantamento. Bolsonaro apareceu em segundo, com 32%.

Na estimulada para o primeiro turno, depois de Lula e Bolsonaro, aparecem Ciro Gomes (PDT), com 9%, seguido de Simone Tebet (MDB), com 2% e André Janones (Avante) com 1%. Felipe D’Ávila (Novo), José Maria Eymael (DC), Vera Lúcia (PSTU), Sofia Manzano (PCB), Luciano Bivar (União Brasil) e Leonardo Péricles (UP) somaram juntos apenas 1% das menções.