Na última semana, agentes locais e coordenação estadual da nova Pastoral visitaram escolas da rede pública e particular para alertar professores e estudantes sobre o avanço no consumo de substâncias ilícitas fotos: Honório Barbosa

Na última semana, agentes locais e coordenação estadual da nova Pastoral visitaram escolas da rede pública e particular para alertar professores e estudantes sobre o avanço no consumo de substâncias ilícitas fotos: Honório Barbosa
Na última semana, agentes locais e coordenação estadual da nova Pastoral visitaram escolas da rede pública e particular para alertar professores e estudantes sobre o avanço no consumo de substâncias ilícitas fotos: Honório Barbosa
Combater e prevenir a dependência de álcool e drogas é a meta da Igreja Católica por meio da ação pastoral. Começa por este município no Centro-Sul a implantação do primeiro grupo da Pastoral da Sobriedade na Diocese de Iguatu. No Ceará, já existem 40 núcleos de autoajuda que trabalham com os dependentes químicos de álcool e drogas. O crescimento do consumo de bebidas alcoólicas e de entorpecentes nas cidades do Interior do Estado preocupa os dirigentes da instituição católica.

 

A Pastoral da Sobriedade é uma instituição da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) da Regional Nordeste 1, que integra nove dioceses. Inicialmente, houve dois dias de capacitação e formação de novos agentes. Na terça-feira passada, ocorreu a primeira reunião semanal aberta com a participação de um grupo de dependentes e da família.

Nesta última semana, os agentes locais e o coordenador estadual da Pastoral da Sobriedade, Rogério Melo, visitaram escolas da rede pública e particular de ensino para conversar com professores e com os estudantes acerca da preocupação com o avanço do consumo de álcool e drogas entre a juventude. “Temos o Projeto Prevenir que procura alertar e afastar os jovens das drogas”, disse Melo.

Por meio da Pastoral da Sobriedade, a Igreja Católica faz atuação na sociedade difundindo o evangelho e o amor incondicional de Deus. “As reuniões são semanais e abertas, com a participação da família e dos dependentes”, explica Rogério Melo. “Apresentamos um programa de vida nova, com 12 passos”. A Pastoral propõe a vivência diária que tenta levar o dependente à conversão. “O participante faz a redescoberta de si mesmo e de sua autoestima, numa experiência individual com Jesus Cristo Libertador”, esclarece Melo.

“O nosso objetivo é prevenir e recuperar da dependência química e outras, promovendo a dignidade da pessoa e da família, contribuindo para a construção de uma sociedade justa e solidária”. Além da Arquidiocese de Fortaleza, a Pastoral da Sobriedade está presente nas Dioceses de Tianguá, Sobral, Crato, Quixadá, Itapipoca e agora Iguatu. “O nosso propósito é expandir a formação de grupos nas paróquias”, frisou Melo. No Brasil, a Pastoral já atua há 15 anos e, no Ceará, há sete anos, com voluntários à frente dos serviços comunitários. O esforço atual é construir uma casa de recuperação em Caririaçu, da Associação Brasileira de Sobriedade e Paz (Abrasp), para atender internos das regiões Centro-Sul e Sul do Estado do Ceará.

A coordenadora do Projeto Prevenir, em Orós, da Pastoral da Sobriedade, Silvana Vicente, disse que há um esforço comum de um grupo de pessoas para que as ações de prevenção e de ajuda coletiva aos dependentes funcionem com regularidade e adequadamente. “Vamos recuperar com dignidade os que estão no flagelo do alcoolismo e das drogas”, afirmou. “Esse serviço é uma resposta de Deus à Igreja Católica”.

O bispo da Diocese de Iguatu, dom João Costa, apoiou integralmente a vinda da nova Pastoral. “Sabemos que a dependência do consumo de álcool e de drogas é um problema sério e crescente entre os jovens e que destrói muitas famílias”, observou. “O papel da Igreja é evangelizar e, por meio da palavra de Deus, ajudar a libertação das pessoas dependentes”. O padre da Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Orós, Antonio Fernandes, foi o primeiro no âmbito da Diocese a mostrar interesse em ver implantado o projeto.

O quadro atual é considerado preocupante. O coordenador estadual da Pastoral da Sobriedade adverte para o fato de que traficantes estão cada vez mais próximos das escolas, aliciando jovens. “É crescente a cada ano o número de dependentes e, por isso, governo e sociedade precisam agir”. Outro aspecto agravante do problema é que o consumo de droga está relacionado com o aumento da violência no Brasil, ações de furtos, roubos, assaltos e de morte de adolescentes pelo tráfico.

Melo observa que grupos de autoajuda são ações concretas que mais recuperam dependentes. O pioneiro no mundo é de Alcoólicos Anônimos (AA).

Mais informações

Paróquia N. Sra. do Perpétuo Socorro em Orós, (88) 3584. 1217

Pastoral da Sobriedade

(85) 3252. 4046 – (85) 9754.7152 (88) 9687. 8292

Fonte: Diario do Nordeste