Oposição assume Quixelô após 28 anos

Foto: Fagner Leandro

Foto: Fagner Leandro
Foto: Fagner Leandro
Depois de 28 anos, finalmente a oposição assume a Prefeitura deste município. A prefeita Fátima Gomes (PT) é a primeira mulher a ser empossada no cargo em um momento de enorme expectativa da população para mudança no modelo administrativo e de implantação de políticas públicas para a melhoria dos setores de saúde, educação, agricultura e assistência social. Desde a eleição em 7 de outubro passado, o clima é de festa e de otimismo na cidade.

 

No ginásio esportivo, após a solenidade de posse realizada na Câmara Municipal, na manhã de anteontem, a prefeita Fátima Gomes reafirmou para milhares de moradores, o compromisso de realizar uma gestão organizada, transparente e séria. “Agora nós vivemos um tempo de independência e de liberdade”, disse. “Os nossos desafios são muitos, mas vamos trabalhar com uma equipe de técnicos, competentes, e decidindo sempre em favor da população, e não de um pequeno grupo”.

Anúncio

Ela preferiu não fazer de imediato anúncio de inovações administrativas. “Vamos tomar conhecimento da gestão, despesas, recursos em caixa, funcionalismo, algum projeto em andamento, realidade do hospital e de outros setores”, observou. “De imediato, o que muda é o trato, o respeito com as pessoas, o cidadão”.

A prefeita rebateu críticas de adversários de que a sua administração, por falta de experiência, poderia perder o controle. “Serei dura, pois tenho que preservar os votos que eu recebi, a confiança que me foi depositada”, frisou. “Podem ter certeza que a última palavra será a minha e com humildade vou procurar parceria, apoio e orientação daqueles com mais experiência em gestão pública”.

Ela disse que vai priorizar os setores de Saúde e de Agricultura. “A população vem sofrendo com a falta de assistência e a precariedade do hospital. O nosso esforço é melhorar a emergência e o atendimento nas unidades básicas do Programa Saúde da Família”. O município de Quixelô fica localizado na Bacia do Açude Orós, o segundo maior do Estado. “Temos que aproveitar esse potencial de água e de terras planas e produtivas”, observou. “A nossa economia tem por base a agricultura, que precisa ser apoiada e valorizada”. Quixelô obteve a emancipação de Iguatu em 1985. Nos últimos 28 anos, a gestão administrativa esteve nãos mãos do grupo político dos ex-prefeitos, Marconi Matos e José Ilo Dantas, que romperam politicamente no fim da década de 1990. O último prefeito, Gilson Souza, que tentou a reeleição, é aliado de Dantas.

Fonte: Diario do Nordeste