(Foto: Reprodução)

No Irã, a virgindade antes do casamento é considerada importante para muitas meninas e suas famílias — um valor profundamente enraizado no conservadorismo cultural.

Às vezes, homens exigem um certificado de virgindade — uma prática que a Organização Mundial da Saúde (OMS) considera contra os direitos humanos. Mas no ano passado, mais e mais pessoas fizeram campanha contra isso.

“Você me enganou para me casar com você porque você não é virgem. Ninguém se casaria com você se soubesse a verdade.”

A história de Maryam é a realidade de muitas mulheres no Irã. Ser virgem antes do casamento ainda é crucial para muitas meninas e suas famílias. É um valor profundamente enraizado no conservadorismo cultural.

Mas recentemente, as coisas começaram a mudar. Mulheres e homens em todo o país têm feito campanha para acabar com os testes de virgindade.

Em novembro, uma petição online recebeu quase 25 mil assinaturas em um único mês. Essa foi a primeira vez que o teste de virgindade foi criticado abertamente por tantas pessoas no Irã.

Fonte: Terra