(Foto: Reprodução)

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da 3ª Promotoria de Investigação Penal de Duque de Caxias, denunciou o médico Bolívar Guerrero Silva nesta quinta-feira (18) por tentativa de homicídio por motivo torpe no caso em que ele manteve a paciente Daiana Cavalcanti em cárcere privado no Hospital Santa Branca.

“Entreguei a denúncia na 4ª Vara Criminal de Caxias por tentativa de homicídio por motivo torpe pelo que ele fez com a Daiana, mas estou pedindo que os inquéritos que estão na Deam, e que já são mais de 40, sejam entregues aqui na promotoria para que a gente possa dar continuidade nos casos”, disse ao g1 a promotora Cláudia Portocarrero, que está à frente do caso.

A promotora pediu também a prisão preventiva de Guerrero, que está em prisão temporária, e cujo prazo expira no sábado (20).

O Ministério Público deixou de fora denúncia por suposto cárcere privado, por entender que essa não era a condição de Daiana Cavalcanti, uma vez que ela recebia visitas, tinham livre acesso às dependências do Hospital Santa Branca e que não foi impedida de deixar as dependências do local.

Os autos da investigação revelaram ainda que a resistência de Bolívar em realizar a transferência de Daiana se devia ao fato de não desejar que sua conduta chegasse ao conhecimento de outras pessoas, além daquelas já envolvidas, ou mesmo para não aumentar seus “prejuízos”, custeando despesas para reversão do quadro clínico da paciente em outro lugar, o que havia sido determinado pelo Juízo da 5ª vara Cível da Comarca de Duque de Caxias.

Fonte: G1