A ex-deputada federal Manuela d’Ávila descobriu que consta como morta em seu cadastro no Sistema Único de Saúde (SUS), problema que já havia acontecido no ano passado. Descoberta foi compartilhada  por ela em forma de desabafo em suas redes sociais, na manhã desta segunda-feira, 28.

D’Ávila contou, por meio de postagem em seu Instagram, que foi tomar a 4ª dose da vacina contra a Covid-19 hoje, em um posto de saúde em Porto Alegre, mas o registro da imunização não foi inserido no sistema, pois ela estava constando como morta nele.

“Ocorre que sai com o registro da minha vacina apenas físico porque ela (profissional de saúde) não conseguiu incorporar ao sistema. Por quê? Porque consto como morta. Não tem como registrar vacina depois da data de óbito”, relatou.

A ex-parlamentar enfrentou o mesmo problema em 2021, quando foi se vacinar e descobriu que o seu cadastro do SUS apontava a data do seu óbito. Na época, o mesmo aconteceu com o coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos (Psol) e a deputada federal Gleisi Hoffmann (PT).

Fonte: Opovo