(Foto: Divulgação)

O Presidente da França, Emmanuel Macron, apelou, na noite de 3ª feira (16.ago), para a retirada das tropas russas da usina nuclear de Zaporizhzhia, no sul da Ucrânia. Em conversa telefônica com o líder ucraniano, Volodymyr Zelensky, o chefe de Estado expressou grande preocupação com a segurança do local e um possível desastre nuclear.

Segundo o parlamento francês, Macron também expressou apoio à proposta do diretor-geral da Agência Internacional da Energia Atómica (AIEA), Rafael Grossi, de enviar uma missão especial ao local para monitorar as instalações. Isso porque, nas últimas semanas, diversos bombardeios foram registrados ao entorno da usina nuclear.

“Expresso minha preocupação quanto à ameaça que representam a presença, as ações das forças armadas russas e o contexto de guerra com os conflitos em curso sobre a segurança das instalações nucleares ucranianas”, disse Macron, reiterando que a infraestrutura, a maior da Europa, está ocupada pelo exército russo desde março.

Zelensky, por sua vez, classificou como “chantagem” os bombardeios russos próximos à usina nuclear e disse que os autores deveriam ser responsabilizados. Ele também defendeu a imposição de novas sanções contra a economia de Moscou, uma vez que, caso haja um novo incidente, os resultados podem ser maiores que o de Chernobyl, em 1986.

Fonte: SBT News

PODCAST DIÁLOGO MAIS – ELEIÇÕES 2022 – O QUE FAZ UM DEPUTADO FEDERAL, ESTADUAL E SENADOR? O QUE É ESQUERDA, DIREITA E CENTRÃO?