O prefeito de Sobral, Ivo Gomes (PDT), diz que, caso votasse no diretório do PDT nesta segunda-feira (18), a escolha seria pela reeleição da governadora Izolda Cela e que o irmão e senador Cid Gomes pensa o mesmo. O gestor afirma ainda que o irmão mais velho, Ciro Gomes, que está conduzindo as tratativas para definição no grupo governista, sabe da opinião dos dois.

A declaração do mais novo entre os irmãos Ferreira Gomes, dada com exclusividade a esta coluna, consiste na maior novidade do processo de sucessão no grupo governista, às vésperas da decisão, e fortalece a pré-candidatura da governadora Izolda Cela.

Neste momento, ela polariza com o ex-prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, em uma disputa que ganhou contornos de rompimento muito antes de chegar à conclusão do processo.

 

A opinião de Ivo Gomes, que esteve com Cid na última sexta (16) embaralha as cartas do jogo da sucessão.

 

No fim de semana, o prefeito agitou os bastidores da escolha do candidato da base aliada ao fazer duas postagens nas redes sociais com recados bastante diretos sobre seus posicionamentos a respeito do momento.

 

Ivo confirmou a este colunista ter encontrado com Cid na última sexta, oportunidade em que trataram do assunto sucessão. As postagens nas redes e a conversa com este colunista por aplicativo de bate-papo ocorreram depois do encontro entre os dois. Cid, um dos líderes do grupo governista, está afastado do processo de escolha do candidato desde maio.

CRÍTICAS À CONDUÇÃO DO PROCESSO NO PDT

Além de ter manifestado a preferência, Ivo Gomes fez críticas ao processo de escolha do candidato do PDT ao governo do Estado. Uma delas foi em relação à pesquisa de opinião contratada pelo partido. Ele argumentou que se fosse com base nesse critério, os candidatos do grupo não teriam sido escolhidos em anos anteriores, pois começaram em baixa nas sondagens.

Outro ponto que mereceu observações dele foi a reunião do diretório para decidir a escolha no voto. A possibilidade de os pré-candidatos irem para a disputa de votos é uma forma equivocada, na visão dele, até pela repercussão que pode gerar em caso de um embate entre defensores de lado a lado.

Por fim, Ivo disse achar que Cid Gomes não retornará às tratativas. Além disso, reforçou que as desavenças e a má condução do processo interno do partido são um reflexo da ausência de Cid.

 

Fonte: Coluna – Inácio Aguiar – Diário do Nordeste