A estrutura foi adquirida com recursos do CNPq (Foto: Funceme/Divulgação)

Órgão contará com moderno equipamento nas paredes do local. As imagens de satélites ficarão mais otimizada.

A Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos inaugurou nesta quinta-feira (3) novas estruturas para aperfeiçoar monitoramento climático no Ceará. A novidade do espaço é um moderno equipamento instalado em uma das paredes do local. O “video wall” conta com 12 monitores, que juntos formam uma imensa tela para acompanhamento integrado e em tempo real dos vários sistemas monitorados diariamente pelos meteorologistas do órgão.

A estrutura foi adquirida com recursos do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Com o novo equipamento, a percepção e análise das imagens de satélites e da Rede Cearense de Radares será bastante otimizada. “Para se realizar boas políticas, precisa-se de um bom planejamento, diagnósticos e monitoramento.

Desta forma, uma sala como esta é muito importante para que se tenha esses diagnósticos precisos e, assim, possamos traçar melhores estratégias hídricas para o Estado. Por isso, é importante que tenhamos os melhores equipamentos, assim como em outros órgão que estudam as condições climáticas, a fim de termos as melhores análises e perspectivas”, ressaltou o secretário Francisco Teixeira, de Recursos Hídricos.

Ala de treinamento para cursos

Além da entrega da Sala de Monitoramento e Previsão, foi também inaugurada uma sala de treinamento, onde serão realizadas palestras e cursos nas áreas de meteorologia, oceanografia, hidrologia, recursos ambientais, dentre outras. O espaço climatizado possui 20 estações de trabalho com computadores e projetor multimídia.

Segundo o presidente da Funceme, Eduardo Sávio, o espaço vai servir para reforçar o compartilhamento de informações de forma mais ampla e direta. “Com a sala de treinamento, pretendemos treinar servidores de diversos órgãos do Estado. Assim, vamos conseguir divulgar, com a linguagem mais direta, as informações importantes do clima e tempo. Por exemplo, poderemos chegar ao agricultor de forma mais compreensível, sem linguagens técnicas, sobre as condições do seu solo e como ele pode melhorar a sua colheita através das previsões climáticas”, explica o presidente do órgão.

Durante a inauguração da nova sala, foi realizado também o lançamento oficial de duas publicações do Núcleo de Recursos Ambientais da Funceme: Zoneamento Ecológico-Econômico das Áreas Susceptíveis à Desertificação – Núcleo 1 (Irauçuba / Centro Norte, com 12.305 Km²) e Núcleo 2 (Região dos Inhamuns, com 8.303 Km²).Funceme inaugura novas estruturas para aperfeiçoar monitoramento climático do Estado.

Fonte: G1