A polícia cearense procura por um homem foragido da Justiça e suspeito de ameaçar matar policiais militares e realizar ataques no município de Monsenhor Tabosa, no interior do Ceará. As ameaças foram gravadas em áudios compartilhados nas redes sociais nesta semana, que assustaram a população da cidade.

Ramon Alves Brandão, de 24 anos, ainda possui mandado de prisão preventiva em aberto por um homicídio, segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS). Ele já tem passagem pela Polícia por porte ilegal de arma de fogo e é investigado por participação em outros crimes em Monsenhor Tabosa.

As ameaças a servidores e prédios públicos teriam sido motivadas pela prisão da mãe e do padrasto de Ramon, também ocorridas nesta semana. “Se essa polícia de Monsenhor Tabosa não procurar prender quem está errado, vai ter desgraça aí dentro. A treta de vocês não é com minha mãe nem com o cara que está lá, não. A treta de vocês é comigo!”, afirma o homem, em áudios obtidos pelo G1.

“Agora eu vou dar um ‘papinho’ aqui. Se as autoridades não procurarem liberar eles, porque são inocentes, vai ter desgraça dentro de Monsenhor Tabosa. Quem vai pagar é os órgãos do Estado. Minha treta não é com a população de bem”, continua.

Buscas ‘ininterruptas’
A SSPDS informou que equipes das polícias Civil e Militar realizam “buscas ininterruptas” pelo foragido. As apurações do caso são conduzidas pela Delegacia Municipal de Monsenhor Tabosa, com o apoio de PMs do Policiamento Ostensivo Geral (POG), da Força Tática (FT), do Comando Tático Rural (Cotar) e do Comando de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (CPRaio).

“A população pode contribuir com as investigações repassando informações que possam auxiliar os trabalhos policiais. As denúncias podem ser feitas pelo número 181, o Disque-Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS); ou ainda para o WhatsApp de denúncia da Delegacia Municipal de Monsenhor Tabosa, no telefone (88) 99951-9337. O sigilo e o anonimato são garantidos”, garantiu a pasta, em nota.

Fonte: G1 Ceará