(Foto:Reprodução)
O último boletim sobre a saúde de Dom Pedro II, imperador do Brasil afastado há dez meses para tratamento médico na Europa, aponta o diagnóstico de pleurite seca.

O mal, caracterizado por uma inflamação das pleuras pulmonares, levou três médicos respeitados a se deslocar até Milão, na Itália, há uma semana, para examinar o monarca.

Apesar de ter à disposição alguns dos melhores especialistas estrangeiros, o imperador segue acompanhado de Cláudio Velho da Mota Maia, filho de um mordomo e criado sob a proteção da família real. Patrocinado por Dom Pedro II, o mancebo frequentou faculdades europeias de medicina e passou a cuidar pessoalmente da saúde do padrinho.

Uma das piores crises de saúde — que levou D. Pedro II a deixar o Brasil provisoriamente — ocorreu no ano passado, enquanto ele assistia a uma peça de teatro em Petrópolis. Na ocasião, foi acometido de vômitos e febre — um agravamento do diabetes. Apesar disso, o imperador, que nunca escondeu o amor pelas artes e um certo incômodo com os protocolos do poder, aproveita bibliotecas, teatros e cafés europeus a cada período de melhora.

 

Fonte: Correio Braziliense