O titular da pasta da Educação Victor Godoy visitava o município para assinar um protocolo para a instalação do Curso de Medicina no Instituto Federal do Ceará (IFCE) na região. O ministro foi recebido com protestos na manhã desta quinta-feira, 23, em Iguatu.

Os manifestantes não tiveram acesso ao evento e foram barrados pela Polícia Militar. Eles exibiam faixas com frases como “Educação não é mercadoria”. Também gritaram “Fora, Bolsonaro”.

Em nota, o IFCE de Iguatu disse o protesto realizado pelos estudantes foi pacífico e por uma “causa legítima”, após os recentes bloqueios no orçamento da Educação. “No entanto, O IFCE ressalta que toda a logística da visita do ministro da Educação ao campus Iguatu do IFCE foi organizada pelo próprio Ministério, sem interferência do Instituto, uma vez que uma visita dessa natureza segue ritos protocolares e de segurança do próprio Ministério”, escreveu a instituição.

Também participaram do encontro reitor do IFCE, Wally Menezes, o diretor-geral do Campus Iguatu, Francisco Heber, o secretário de Educação Profissional e Tecnológica do MEC, Tomás Sant’ana, a secretária de Regulação e Supervisão Superior do MEC, Diana Azin, o prefeito de Iguatu, Ednaldo Lavor, além de outras autoridades da região.

O deputado federal Nelho Bezerra (União), aliado do governo federal e presente no evento, fez a articulação para a vinda do ministro a cidade.  “É um projeto inovador que vai naturalmente ser estudado e com todas as suas necessidades de avaliação. Tem um investimento que o deputado Nelho Bezerra está fazendo aqui na região de R$ 9 milhões, aqui no Instituto Federal pra poder ampliar os laboratórios, fazer toda a preparação, porque  um curso de Medicina não se implanta sem toda uma estrutura, sem toda uma verticalização que é importante”, disse Vitor Godoy

Perguntado sobre as polêmicas envolvendo denúncia de corrupção no MEC com esquema teria a participação do ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro, preso na quarta-feira, 22, pela Polícia Federal o atual titular da pasta não quis responder os questionamentos da Mais FM.

PODCAST DIÁLOGO MAIS – A violência contra o idoso