Reunidos em assembleia nesta sexta-feira, 26, os professores da rede municipal de Iguatu decidiram entrar em “estado de greve”, com mobilização permanente da categoria que se reuniu no auditório do Sindicato dos Comerciários.

Após a aprovação do estado de greve, ficou decidido que a categoria irá elaborar um calendário para realização de ações com o objetivo de fortalecer a luta para alcançar o que almejam os professores.

A principal reivindicação do magistério é pelo pagamento integral e linear do repasse de 33,24% no reajuste do pagamento conforme autorizado pelo Governo Federal, através da Lei do Piso Nacional do Magistério.

A prefeitura em contraproposta oferta o aumento de apenas de 10,18%. As negociações são feitas pelo Sindicato dos Servidores Municipais de Iguatu – SPUMI e pela Associação dos Professores.

Resposta

Mesmo o reajuste de 10,18% já tendo sido sancionado pelo gestor, a Secretaria de Educação afirma que o município segue em mesa de negociação com a categoria. A pasta alega que o município apresentou proposta que assegura aos professores o recebimento do salário básico superior ao piso nacional, com efeitos retroativos ao mês de janeiro.

Saiba

O Estado de Greve não é greve em si (ou seja, o trabalho cotidiano prossegue), nem indicativo de greve (quando assembleia aprova uma previsão de data para início da paralisação). Trata-se do início de uma processo de mobilização intensificada e fortalecimento da participação da categoria.