Quantas vezes você já dedicou alguns minutos do dia para ajudar alguém desconhecido? Através da doação de sangue, um ato voluntário e altruísta, é possível ajudar de três até quatro pessoas com apenas uma bolsa de sangue. No Ceará, o Hemoce, Centro de Hematologia e Hemoterapia, da rede pública do Governo do Estado, recebe por dia cerca de 350 pessoas nas unidades de Fortaleza e no interior do Estado que procuram os postos de coleta para doar sangue e exercer a solidariedade.

O vendedor Tadeu de Oliveira é um dos voluntários que mantém a atitude solidária regularmente, no Hemoce. A primeira vez que doou sangue foi por conta de um problema de saúde com o pai. “Às vezes é na dor que a gente se dá conta que pode fazer mais pelo próximo, meu pai precisou receber oito bolsas de sangue, a partir de então eu enxerguei a importância da doação e passei a fazer do gesto um hábito no dia-a-dia”, disse. De lá para cá, já foram 18 doações realizadas no Hemoce. Tadeu tem um tipo sanguíneo considerado raro, B negativo. De acordo com dados do Ministério da Saúde, apenas 10% da população brasileira, possuem RH negativo. Consciente, Tadeu doa sangue quatro vezes ao ano. “O Hemoce é para mim como uma casa, onde sou sempre bem acolhido, bem atendido, os funcionários me conhecem e já fiz até amizades. Eu entro no Hemoce disposto a ajudar quem nem conheço e saio com a sensação de dever cumprido, porque não tem nada mais gratificante do que fazer o bem”, conta.

E foi a vontade de ajudar ao próximo que fez Tadeu se tornar um multiplicador da causa. Além de cumprir um calendário fiel de doações no ano, o voluntário incentiva colegas de trabalho, amigos e parentes. “Eu faço minha parte, sempre que estou em um evento, na igreja, com meus filhos, converso sobre a importância de doar, explico que é um processo simples e que ajuda a muita gente”, explica. A atitude do voluntário serviu de exemplo para o filho que tem 22 anos e faz doações de sangue desde os 18 anos. “Meu filho se interessou por conta própria, pela consciência, mas acredito que tendo o exemplo dentro de casa, fica mais fácil despertar a vontade. Para mim é motivo de muito orgulho e felicidade e vamos continuar fazendo o bem sem olhar a quem”, disse Tadeu de Oliveira.

Para ser um doador de sangue, é preciso ter entre 16 e 69 anos de idade, estar saudável, bem alimentado, pesar mais de 50 kg e apresentar um documento oficial com foto. O Hemoce conta com postos de coleta em Fortaleza e no interior do Estado. Todos os dias o Hemoce oferece o serviço de coleta externa, levando a unidade móvel (ônibus equipado para coleta de sangue) para diferentes pontos da cidade. Em parceria com empresas, órgãos públicos, igrejas, praças, faculdade e outras organizações, no serviço de coleta externa, uma equipe formada por médico, enfermeiros e técnicos de enfermagem vai até o local agendado para que sejam realizadas as doações de sangue.

Assessoria de Imprensa do Hemoce