(Foto: Reprodução)

Corrupção no governo, orçamento secreto e a ausência de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foram os temas que dominaram o debate presidencial do SBT, realizado neste sábado (24.set). O presidente Jair Bolsonaro (PL) e o ex-presidente petista — que lideram as pesquisas de intenção de votos — foram os dois principais alvos dos ataques, em especial dos candidatos Ciro Gomes (PDT), Simone Tebet (MDB) e Soraya Thronicke (União Brasil).

A uma semana das eleições, os candidatos à Presidência deram o tom que dominará a reta final deste primeiro turno no debate, realizado pelo SBT em parceria com o maior pool de veículos de comunicação.

Com a estabilidade de Lula, à frente das pesquisas, Ciro Gomes, Simone Tebet e Soraya Thronicke atacaram o petista e sua ausência no debate. Lula não compareceu e seu lugar na bancada ficou vazio. O ex-presidente anunciou que não compareceria, alegando que já estava com compromissos marcados. A primeira reunião do SBT com as campanhas dos candidatos foi realizada em março deste ano.

Ataques

Os temas corrupção e gastos com o orçamento secreto dos deputados dominaram os ataques a Bolsonaro e Lula — mesmo ausente.

Bolsonaro foi alvo de ataques dos candidatos presentes, em especial de Ciro Gomes e Simone Tebet, que disputam como terceira via, para quebrar a polarização entre os dois principais adversários. Ambos atacaram o governo do presidente, a corrupção e os casos sob suspeição contra seus filhos e a liberação de recursos para deputados via orçamento secreto.

O candidato do Novo, Felipe D’Ávilla também atacou e comparou: “O orçamento secreto é muito parecido com o mensalão”.

Respostas

Com a troca de farpas entre os candidatos, os pedidos de direito de resposta dominaram os quatro blocos do debate.

Bolsonaro conseguiu direito de responder acusação de Ciro. “Me acusam de ser corrupto, mas não dizem de onde foi tirado esse dinheiro para corrupção. Mentiras. Gente aqui posando como vestais da moralidade. O Ciro me acusa de corrupto. Ciro, a Polícia Federal já bateu na sua porta e do teu irmão por desavios do estádio do Castelão. Então, primeiro olhem para o espelho e depois venham me acusar.”

O candidato do PDT também conseguiu direito de resposta. “Nunca respondi, em 42 anos de vida pública, por qualquer denúncia de corrupção”.

Bolsonaro voltou a dizer, em mais de um momento do debate, que não há corrupção no governo federal. “Tiramos a corrupção das manchetes. Você não vê escândalos de corrupção no meu governo.”

O presidente também atacou o Supremo Tribunal Federal (STF), após ser questionado sobre a relação conflituosa com a Corte e sobre os ministros escolhidos por seu governo. O presidente criticou a “judicialização” da Corte “contra o Executivo”. Ele destacou que o Supremo deve se ater à Constituição e deixar o governo.

Debate

Foram quatro blocos, com perguntas de jornalistas de cada um dos veículos do pool e perguntas entre os candidatos. A mediação foi do jornalista Carlos Nascimento. O debate foi transmitido ao vivo pela TV, no SBT, pelo canal do SBT News no YouTube e com cobertura especial no site SBT News.

Seis candidatos participaram do debate: Jair Bolsonaro (PL), Ciro Gomes (MDB), Simone Tebet (MDB), Soraya Thronicke (União), Felipe d’Ávila (Novo) e Padre Kelmon (PTB).

Fonte: SBT News