Enquanto aguarda a definição do PL sobre apoio para as eleições de outubro, o pré-candidato do União Brasil ao governo do Estado, Capitão Wagner, estará no evento “marcha para Jesus”, em Fortaleza, no próximo sábado, que contará com a presença do presidente Jair Bolsonaro.

Principal nome da oposição na disputa pelo Palácio Abolição, Wagner tem a simpatia dos aliados mais próximos do presidente no Estado, mas ainda negocia um apoio formal do Partido Liberal para robustecer a aliança no Ceará.

O partido conta com dois grupos: um mais tradicional, liderado pelo presidente estadual e prefeito do Eusébio, Acilon Gonçalves, e outro de apoiadores mais diretos do presidente que se filiaram após a chegada de Bolsonaro.

O partido se divide entre os que preferem uma candidatura própria, no intuito de fortalecer as chapas majoritárias, enquanto outro defende a aproximação com Wagner para dar mais capilaridade às pretensões da oposição.

Capitão Wagner tinha um evento marcado para a cidade de Tianguá para este sábado, mas acabou desmarcando o compromisso para prestigiar o ato com o presidente da República. Wagner tem dito que é aliado do presidente, mas que não terá uma atuação propriamente de “bolsonarista”, como desejam alguns aliados do presidente.

Para justificar a postura, o pré-candidato informa que há diversos públicos entre seus eleitores. Alguns até votarão em outros candidatos a presidente. “Até o Solidariedade, que é lulista, deve anunciar apoio a mim”, informou o parlamentar.

OPINIÕES DENTRO DO PARTIDO

O vereador Carmelo Neto, do PL, confirma que é interesse do bolsonarismo sair coligado com a pré-candidatura de Capitão Wagner.

 

Fonte: O Povo

PODCAST DIÁLOGO MAIS – ELEIÇÕES 2022 – O nosso sistema eleitoral é seguro? O que é fato ou boato?