Foto: Fagner Leandro
A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) anunciou a normalização dos serviços de distribuição dos objetos postais no Ceará no prazo de 15 dias. O acúmulo foi gerado devido à greve dos funcionários, iniciada no dia 12 de setembro e que teve o fim decretado na última terça-feira pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST). O retorno dos grevistas ocorre hoje. As informações são da Redação Web do Diário do Nordeste.

 

A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) anunciou a normalização dos serviços de distribuição dos objetos postais no Ceará no prazo de 15 dias

No depósito dos correios são contabilizados, atualmente, um número aproximado de 2,5 milhões de objetos acumulados no Estado. Cerca de 98% deles são objetos postais simples, ou seja, cartas e impressos, segundo os Correios. Entretanto, o órgão ressaltou que, diariamente, são distribuídos em todo o Ceará mais de 900 mil objetos postais.

Nos últimos três fins de semana, foram realizados mutirões entre os funcionários que não aderiram à greve para despachar os objetos em atraso, com prioridade para as encomendas Sedex, telegramas, documentos e faturas, declarou a empresa. O TST manteve o reajuste salarial de 8% oferecido pela empresa aos trabalhadores e 6,27% para benefícios. Pela decisão do TST, os grevistas terão de compensar os dias que faltaram com até duas horas extras diárias em um prazo de 180 dias.

Os trabalhadores dos Correios de São Paulo, Rio de Janeiro, Rondônia, Tocantins e Rio Grande do Norte decidiram encerrar a greve, e aceitar a proposta da empresa, no dia 13 de setembro. A partir do dia 17, os sindicatos que representam a categoria no país aderiram à greve.

*Diário do Nordeste