(Foto: Reprodução)

A Coreia do Sul e os Estados Unidos dispararam quatro mísseis nesta quarta-feira, 5, em resposta a um projétil norte-coreano que sobrevoou o território japonês no dia anterior, disseram os militares sul-coreanos.

Equipada com armas nucleares, a Coreia do Norte lançou um míssil de alcance intermediário sobre o Japão na terça-feira pela primeira vez desde 2017, levando as autoridades japonesas a ordenar a evacuação de seus moradores.

Os militares sul-coreanos e americanos responderam lançando dois mísseis de curto alcance cada, que “atingiram com precisão um alvo virtual” no Mar do Japão, também conhecido como Mar do Leste, informou o chefe do Estado-Maior Conjunto em Seul.

As manobras “demonstraram a habilidade e prontidão para neutralizar a fonte da provocação, mantendo uma posição de monitoramento constante”, disse o comunicado.

Os militares também confirmaram que um míssil sul-coreano falhou logo após o disparo e explodiu sem causar vítimas.

Na terça-feira, aviões de combate americanos e sul-coreanos realizaram um exercício de bombardeio no Mar Amarelo.

Os exercícios queriam “garantir que temos as capacidades militares prontas para responder às provocações do Norte se chegar a essa situação”, disse o porta-voz do Conselho de Segurança Nacional dos EUA, John Kirby, à CNN.

“Não devemos chegar a isso. Deixamos claro para Kim Jong Un que estamos dispostos a nos sentar e negociar sem pré-condições. Queremos ver a desnuclearização da península coreana”, acrescentou.

O último teste de Pyongyang se junta a uma série recorde de testes de armas pelo regime comunista isolado, que recentemente revisou suas leis para declarar seu status de potência nuclear “irreversível”.

O presidente dos EUA, Joe Biden, e o primeiro-ministro japonês, Fumio Kishida, condenaram “nos termos mais fortes” o último lançamento de míssil.

O presidente sul-coreano, Yoon Suk-yeol, chamou o disparo do Norte de “provocação” e pediu uma “resposta firme”.

 

Fonte: Exame