Momento em que Dom João declara posse dos membros (Foto: Thiedo Henrique/Mais FM)
Momento em que Dom João declara posse dos membros (Foto: Thiedo Henrique/Mais FM)

 

O auditório do hotel diocesano da cidade Iguatu sediou nesta quarta-feira (11) a solenidade de celebração de fundação da comissão de Justiça e Paz (CJP) da Diocese local. O evento contou com a participação membros de comunidades religiosas e judiciais das cidades de Crateús e Limoeiro do Norte além de lideranças do meio local.

A Comissão de Justiça e Paz é em toda a Igreja Católica, tem como propósito estimular as comunidades locais a promoverem a justiça social e a paz, conforme a mensagem do Evangelho e a doutrina social da Igreja.

Em entrevista para o portal de notícia, José Arteiro, promotor de justiça da cidade de Crateús e também membro de uma subseção da comissão naquele município, em palestra falou de sua realidade local, “A responsabilidade é imensa, pois devemos atrair todos os níveis da sociedade a partir das comunidades locais sobre o ideal e propósito da comissão” ressaltou o promotor.

Apesar da formalização ter ocorrido somente no mês de dezembro, o coordenador da comissão na Diocese de Iguatu, Padre Anastácio, disse que os membros já intervirão e cumpriram algumas diretrizes, “Há cinco anos estamos trabalho, estabelece parcerias com entidades, comunidades que atuam em coerência com os princípios e com a missão da CJP”, explicou o coordenador.

 Mesmo em processo de desligamento da diocese, o Bispo Dom João Costa, acredita e espera ter deixado sua mensagem de paz, “espero que a CJP possa contribuir para o desenvolvimento integral da pessoa humana como parte da missão da Igreja”, pontuou Dom João.