Passados três meses do início da aplicação do reajuste tarifário de quase 25% nas contas de energia do Ceará, os trabalhos da Comissão Especial para analisar o contrato de prestação do serviço da Enel pouco avançaram até o momento. Instalada em maio pela Assembleia, apenas agora a Comissão vai solicitar, formalmente, que os municípios cearenses e setores da indústria e comércio avaliem a concessionária.

Nesta sexta-feira (15), o deputado Guilherme Landim (PDT), relator da Comissão Especial na Assembleia, informou que vai enviar requerimentos para os 184 municípios do Estado, à Federação das Indústrias (Fiec), Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio) e à Federação da Agricultura e Pecuárias (Faec) se pronunciarem sobre a qualidade do serviço prestado pela Enel.

 

“Nós estamos entrando com uma série de requerimentos de informação, dentre eles, o relatório de fiscalização e os autos de infração expedidos nos últimos cinco anos pela Arce, pela Aneel – que inclusive tem uma multa de mais de R$ 26 milhões expedida no ano passado para a Enel -, e reclamações dos últimos cinco anos no Procon e no Decon. E estamos oficializando os 184 municípios (para prestarem) informações sobre a qualidade do serviço prestado a esses municípios, como também as reclamações da Fecomércio, Faec e Fiec”, explicou.

Além disso, Landim ressaltou que, durante o levantamento de informações iniciais, o colegiado identificou “coisas absurdas” sobre a concessionária que atua no Ceará, como altos índices de reclamações. O Diário do Nordeste revelou, ainda em abril, que a empresa liderava as reclamações no Programa Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Decon).

 

Fonte: Diário do Nordeste

DIÁLOGO MAIS PODCAST – O Ódio na Política