(Foto:Divulgação)
O Sest Senat e o Departamento de Polícia Rodoviária Federal realizam, nesta semana, a primeira etapa de 2014 do projeto Comandos de Saúde nas Rodovias. Nesta primeira edição será trabalhado o tema Doenças Endêmicas.

A ação acontece nesta terça-feira, dia 18, nas cidades de Eusébio (CE) e Macapá (AP). Em outras 24 cidades o evento está marcado para quarta-feira, dia 19. As próximas edições estão previstas para acontecer nos meses de abril, outubro e novembro.

O Comandos de Saúde orienta os motoristas sobre a importância dos cuidados básicos com a saúde, com o objetivo de evitar acidentes e garantir mais segurança nas rodovias. “Nossos motoristas viajam diariamente e, para que consigam desempenhar as suas funções de maneira segura, precisam estar com a saúde em dia. Essa ação do Sest Senat e da PRF oferece a oportunidade ao trabalhador do setor de transporte rodoviário de cargas de cuidar melhor dele mesmo”, afirma o presidente do Sest Senat e da CNT, senador Clésio Andrade.

Nesta primeira etapa, a meta é atender 3.015 motoristas em todo o país. Em 2013, 12.234 profissionais foram atendidos nas quatro edições do evento. Desde o lançamento do projeto, em 2006, mais de 79 mil motoristas participaram da ação.

Os profissionais são abordados nas rodovias pelos agentes da Polícia Rodoviária Federal e convidados a participar da ação. Depois de realizado um cadastro, os motoristas passam por exames rápidos, como aferimento de pressão, verificação de peso, altura, massa corpórea, circunferência cervical e abdominal, acuidade visual e auditiva, frequência cardíaca, glicemia, triglicerídeos e colesterol. A realização dos exames é sempre acompanhada por um médico que, quando necessário, encaminha o motorista para atendimento e tratamento em uma das unidades do Sest Senat.

Em 2013, 40,49% dos motoristas avaliados estavam acima do peso, e 32,53% apresentaram características de obesidade, com circunferência abdominal elevada. Além disso, 28,09% apresentaram alto nível de triglicerídeos, o que representa uma alimentação irregular e rica em carboidratos e gordura.

Outro dado preocupante é o grande número de motoristas identificados com pressão alta (31,85%). A hipertensão é uma doença crônica, sem cura, que pode trazer sérios riscos aos motoristas, principalmente durante a condução dos veículos. Mas quando diagnosticada e tratada, apresenta resultados bastante eficazes.

 

Fonte: Ceará Agora