O tempo nublado contrasta com as poucas chuvas no município –

O mês mais importante da quadra chuvosa chega ao fim com um saldo positivo para o Ceará. Com acúmulo de 217.8mm, abril é considerado o mês mais chuvoso nos últimos nove anos. Na contramão do que foi confirmado para o estado, ficaram as regiões da zona rural de Iguatu, visto que todas registraram índices abaixo da média numérica histórica.

O acúmulo deu ao estado o volume é 15,8% maior que a média histórica para abril (188mm). De acordo com a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (FUNCEME), o mês só não superou abril de 2009, que registrou 380.5mm.

Os números poderiam ser melhores caso na última semana do mês a Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) da costa cearense, principal sistema indutor de chuva no Estado, não tivesse se afastado.

Iguatu

Os números referentes ao quarto mês do ano no município, quando comparado à média histórica em porcentagem e milímetros observados nos postos da FUNCEME, são nada animadores. Principalmente na zona rural, pois nenhum deles superou a média numérica: Quixoá (-8,4 % / 150mm); Barro Alto, (-63,7 % / 106 mm); José de Alencar (-88,7 % / 22mm) e Baú (-47,9 % / 93mm).

O meteorologista da FUNCEME, Raul Fritz, afirma que a previsão do órgão não se dá por município, mas para todo o estado. O pluviômetro da sede de Iguatu foi o único a ficar com desvio positivo de 22,6 % / 232mm.

Durante o último mês, as macrorregiões mais beneficiadas foram a do Maciço de Baturité e a Jaguaribana, com 297,7mm e 272,8mm, respectivamente. Ambas registraram desvios positivos. Quanto aos municípios, os mais chuvosos foram Moraújo (492 mm), Icapuí (460,7 mm), Russas (425,9 mm), Granja (417,4 mm) e Ibiapina (415,3 mm).

“Os maiores desvios, por macrorregiões, ocorrem aleatoriamente, mas algumas chuvas mais intensas vindas do leste foram um pouco mais frequentes, em abril, em áreas dessas macrorregiões, respondendo, em parte, pelos maiores desvios das mesmas”, explicou Raul Fritz.

Quadra invernosa

A partir do acumulado no trimestre de quadra chuvosa (fevereiro a abril) deste ano, as chuvas estão acima da média esperada: 516,6mm. O registro climatológico comum para estes três meses juntos é de 510,1mm. Considerando toda a quadra (fevereiro a maio), a média histórica é 600,7mm. Este dado trimestral já é 85% do esperado para os quatro meses.

Trussu

Diante desse cenário de escassez hídrica, o açude Carlos Roberto Costa “Trussu”, que abastece os municípios de Iguatu e Acopiara, no ano de 2018 não recebeu aporte hídrico, e está com 7,67% da capacidade de armazenamento que é de 268 milhões de metros cúbicos. O manancial começou o ano com 8,13% e de lá até aqui não obteve recargas, e diversas oscilações.