(Foto: Divulgação)

A China disparou mísseis contra Taiwan durante um exercício militar, ainda como retaliação pela visita da presidente da Câmara dos Deputados americana à ilha.

Por céu, terra e mar: a tensão na Ásia aumenta a cada hora. Nesta quinta-feira (4), até o Japão sentiu as consequências do treinamento militar chinês. Pela primeira vez na história, cinco mísseis da China atingiram o mar japonês.

O ministro da Defesa do Japão condenou a ação e disse que isso aumenta a preocupação com a segurança.

O foco dos chineses é Taiwan. A ilha teve que acionar o sistema de defesa aéreo depois de Pequim disparar 11 mísseis.

Segundo a TV estatal chinesa, os exercícios militares vão até domingo (7). Cem aviões, entre caças e bombardeiros, foram acionados, além de mais de 10 navios de guerra.

Por segurança, pelo menos 50 voos internacionais que chegariam ou sairiam do aeroporto de Taiwan foram cancelados.

A pesca foi suspensa. “O impacto é muito grande porque estamos no meio da temporada”, reclama o diretor de uma associação de pescadores.

O governo taiwanês afirmou que a China está violando regras das Nações Unidas ao invadir o espaço aéreo e marítimo da ilha, e chamou os exercícios de ações irresponsáveis.

O governo chinês declarou que as manobras militares estão dentro da lei e são medidas necessárias e legítimas para resguardar a soberania chinesa e a integridade territorial do país.

Fonte: G1