Uma ação da Polícia Civil do Estado do Ceará (PC-CE), em conjunto com a Coordenadoria de Inteligência (Coin), da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), resultou na prisão de Fellype Abdoral Sales Oliveira, de 32 anos. O alvo é apontado como chefe de um coletivo criminoso e responsável pela parte financeira do grupo.

A prisão dele ocorreu sábado (18), por força de um mandado de prisão preventiva por integrar organização, cumprido no município de Eusébio – Área Integrada de Segurança 13 (AIS 13) do Ceará. Além do mandado de prisão, a PC-CE cumpriu seis mandados de busca e apreensão em imóveis ligados à Fellype. Em uma das casas, uma arma de fogo foi apreendida.

Um trabalho investigativo da Delegacia Metropolitana de Aquiraz, que visa combater grupos criminosos atuantes da Região Metropolitana de Fortaleza, resultou na identificação de Fellype, também conhecido como “Águia”, como responsável por financiar um grupo criminoso, bem como manter empresas em seu nome para realizar lavagem de dinheiro. Ele, que possui antecedentes criminais por tráfico de drogas, tinha uma vida de luxo e exercia um papel hierárquico dentro do grupo criminoso

Conforme as investigações, “Águia” tinha poder de decisão nas execuções de desafetos ou membros de grupos rivais. Com a comprovação da ligação direta de “Águia” dentro do grupo criminoso, os policiais civis representaram pela prisão preventiva dele, bem como mandados de busca e apreensão, em imóveis e empresas que possuem ligação com ele.

Nesse sábado (18), os policiais civis cumpriram as decisões judiciais. Com “Águia”, celulares, dinheiro, documentos e um automóvel foram apreendidos. De lá, os investigadores foram em outros seis imóveis, sendo três casas de alto padrão, uma loja de vestiário feminino, um lava jato e um rancho, situados nas cidades do Eusébio, Camocim e Iguatu. Em Iguatu – AIS 21 – os policiais civis encontraram uma arma de fogo, que foi apreendida. Com isso, Fellype foi levado à Delegacia Metropolitana de Aquiraz, onde todos os trâmites para sua prisão foram realizados. As investigações seguem, com foco em identificar outros partícipes destes esquema criminoso.