Projeto busca melhorar urbanização dos centros históricos de municípios cearenses com foco em aumentar a atratividade destes locais para rotas turísticas.

Apartir de janeiro de 2022, mais cinco municípios do Ceará passarão por obras na infraestrutura de seus centros históricos com foco em impulsionar o turismo regional. As cidades que receberão a primeira etapa do projeto são Icó, Aracati, Barbalha, Crato e Viçosa. Além de subterrânea, a rede de energia elétrica dos locais contará com central inteligência de regulação.

As informações foram reveladas pelo secretário da Infraestrutura do Ceará, Lúcio Gomes, em participação na transmissão ao vivo do governador do Estado, Camilo Santana (PT). “Sobral já está finalizando a primeira etapa desse processo e deverá iniciar a segunda fase junto com essas novas cidades, no mesmo ritmo”, detalha Lúcio.

Projeto busca melhorar urbanização dos centros históricos de municípios cearenses com foco em aumentar a atratividade destes locais para rotas turísticas e aumentar o interesse de empreendimentos se instalarem nas proximidades para aproveitar a circulação de pessoas.

“Projeto importantíssimo na área do turismo que vai internalizar a toda rede elétrica desses centros históricos que tem um potencial turístico muito forte por causa do patrimônio histórico”, defende Camilo.

As obras levam em consideração cabeamento de energia, internet e também de telefonia com intuito de diminuir a poluição visual nestas localidades.

A instalação da rede subterrânea, com base no modelo implementado primeiramente em Sobral, terá grande adesão à tecnologias de automação com intuito de melhorar o fornecimento de energia do local, aumentar a capacidade energética do município e garantir a segurança do fornecimento de energia da região.

O projeto ocorre por meio de uma parceria da Secretaria da Infraestrutura do Ceará, a Enel Distribuição Ceará, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e as prefeituras municipais. Conforme Lúcio, o plano de obras foi construído pela Enel, aprovado e será implementado por empresa terceirizada contratada pela distribuidora.

“Nós autorizamos a Enel que vai ser responsável por esse serviço, ela já fez um projeto de engenharia com toda a interferência necessária, o piso que deve ser modificado e ela já está com uma empresa terceirizada para iniciar as obras”, destaca o secretário.

Fonte: O Povo

PODCAST DIÁLOGO MAIS – ELEIÇÕES 2022 – O nosso sistema eleitoral é seguro? O que é fato ou boato?