As lojas de Iguatu oferecem modelos e preços variados para todos os perfis de consumidores. O movimento é maior pela manhã FOTO: HONÓRIO BARBOSA

As lojas de Iguatu oferecem modelos e preços variados para todos os perfis de consumidores. O movimento é maior pela manhã FOTO: HONÓRIO BARBOSA
As lojas de Iguatu oferecem modelos e preços variados para todos os perfis de consumidores. O movimento é maior pela manhã FOTO: HONÓRIO BARBOSA
Com o calor de agosto a janeiro, as vendas estão maiores entre 20% e 30%, incluindo também os ar-condicionados. A época de calor mais intenso chegou ao sertão do Ceará. Os próximos cinco meses são de aumento da temperatura. Para aliviar o sufoco diário, o jeito é investir na compra de ventiladores e de aparelhos de ar-condicionado. Os lojistas estão otimistas. A estimativa é de crescimento de 20% em relação ao último trimestre de 2012.

“O calor voltou com tudo”, disse a dona de casa, Creuza Fontes. “O jeito é comprar pelo menos dois ventiladores para substituir os antigos, que não funcionam mais a contento”, disse. “Já decidi que no próximo mês vou instalar um desses aparelhos modernos de ar condicionado”.

O vendedor da loja Armazém Paraíba, José Nascimento, confirma a tendência de crescimento nas vendas de ventiladores. Em setembro, já houve um aumento médio de 10% em relação ao mesmo período do ano passado. “É um item que já começou a vender bem e vai melhorar porque o calor vai aumentar”, disse. “Temos estoque variado, preço diferenciado e modelos modernos”.

A dona de casa, Rita Gomes, de Quixelô, estava pesquisando preços do produto. “Não dá para dormir sem um ventilador porque o calor está demais”, disse. “Durante o dia é um sufoco, a gente trabalha e fica suada. Para sair à rua com um sol forte, é muito ruim”.

Nesse período do ano, a maioria dos consumidores vai às compras durante a manhã, evitando o sol mais intenso na parte da tarde. “As vendas ficam concentradas quase que 80% entre 8 horas e 11 horas”, confirma a vendedora Cláudia Ribeiro. “Depois do almoço, muita gente evita sair de casa”.

O vendedor Francisco Araújo, que há mais de 20 anos trabalha em loja de eletrodomésticos, disse que o crescimento na venda de ventiladores no período de setembro a dezembro se mantém nos últimos anos. “É uma tendência que se repete”, afirmou. Os lojistas aproveitam para renovar o estoque e adquirir produtos com novidades. Alguns consumidores aproveitam para consertar os ventiladores usados. Essa tendência contribui para aumentar os serviços de manutenção nas oficinas especializadas. “Desde setembro que vem aumentando o movimento”, disse o eletrotécnico, Carlos Moreira. “Consertava em média dois ventiladores por semana, mas agora mais do que dobrou”.

O funcionário público municipal, João Alves, optou por mandar consertar dois ventiladores. “Fiz o orçamento e vi que vai compensar”, justificou.

O calor que faz nessa época do ano contribui para aquecer as vendas de centrais de ar-condicionado também. As lojas especializadas comemoram os resultados. O reduzido consumo de energia, preço acessível e facilidade no pagamento também são fatores que impulsionam o consumo desses equipamentos.

A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) mostrou que o aumento nas vendas de central de ar-condicionado foi de 30% em 2012 em relação ao ano anterior. Os empresários do setor confirmam os números. “Não há o que reclamar, pois as vendas estão boas”, disse a empresária Gláucia Palácio, cuja empresa em que trabalha com o marido é pioneira na venda de máquinas, peças e manutenção na cidade.

Nos últimos cinco anos, a concorrência aumentou consideravelmente. “Só existiam duas lojas especializadas, mas hoje são mais de cinco, além de venda desses produtos por grandes redes de lojas de eletrodomésticos”, observou Gláucia Palácio. O setor está aquecido. “Há necessidade de mão-de-obra especializada para os serviços de manutenção e instalação”, disse o empresário, Luiz Carlos Moreira. Por isso, aumentou também a quantidade de oficinas.

Os consumidores das classes A e B não dispensam esse tipo de equipamento. Quem não possuía passou a comprar. Mesmo que a conta de energia aumente no fim do mês, a necessidade de se enfrentar o calor praticamente obriga os moradores a adquirirem os aparelhos de ar-condicionado. “O calor está insuportável, quando a gente fecha as portas e janelas não há quem suporte e consiga dormir”, disse a professora Andréia Lima. “Sem ar-condicionado a gente dorme mal e não acorda disposta para trabalhar no dia seguinte”.

De agosto a janeiro ocorre o chamado verão no Ceará, época mais quente que o normal. A temperatura chega a 40 graus Celsius, deixaando os moradores irritados e aborrecidos. O tempo fica abafado. O ar-condicionado deixou de ser um artigo de luxo e passou a ser uma necessidade.

Mais informações

Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Iguatu, Rua Dr. João Pessoa, 897

Centro, (88) 3581. 1818

Armazém Paraíba, loja de Iguatu

Telefone: (88) 3581. 1308

Fonte: Diario do Nordeste