(Foto: Reprodução)

A estudante cearense Maria Rita, de 17 anos, surda de nascença, sentiu pela primeira vez a sensação de dançar ao som de uma música. Ela participou de um dos shows realizados no palco do Rock in Rio no último domingo (4).

A adolescente estava no festival com um protótipo que ajuda a captar as vibrações musicais. Natural da cidade de Crateús, interior do estado, ela não escondeu a emoção sentida justo em um dos maiores festivais de música do país.

“Foi a primeira vez que eu pude sentir a emoção, acompanhar cada ritmo, cada nota da letra, eu captava os sons e as vibrações pelo corpo através do tato. Quando o protótipo começou a funcionar eu fiquei muito feliz porque eu consegui sentir na pele a sensação, desenvolvi bem a música, o ritmo. Fiquei muito emocionada, não consigo explicar o que estou sentindo agora”, se expressou a jovem usando libras.

O aparelho recebeu o nome de MR, as iniciais da garota Maria Rita que inspirou a criação do equipamento. No Rock in Rio, ela conheceu os idealizadores da ideia, entre eles estava o comediante Whindersson Nunes, sócio da empresa que desenvolveu o protótipo testado com sucesso no próprio show dele no evento.

Para a intérprete em libras que acompanhou Maria Rita, esse foi um passo importante para a comunidade surda e torce para que novos projetos semelhantes sejam desenvolvidos.

“Uma iniciativa que vai ajudar o surdo a vivenciar experiências, que outras empresas de robótica, de tecnologia possam estar difundindo novos projetos que possam proporcionar emoções nova e acessibilidade”, afirmou.

Fonte: G1 CE