Ataques da Rússia contra infraestruturas civis em cidades ucranianas que estão longe da linha de frente complicarão a dura situação econômica do país, que já passa por um aumento de dez vezes na pobreza este ano, disse uma autoridade do Banco Mundial no sábado (15).

Arup Banerji, diretor regional do Banco Mundial para o Leste Europeu, disse que a restauração rápida de energia após os ataques em larga escala da Rússia nesta semana contra instalações de energia reflete a eficiência do sistema para tempos de guerra, mas que a mudança de táticas da Rússia elevou os riscos.

“Se isso continuar, o cenário será muito, muito mais difícil”, disse ele em entrevista à Reuters. “Quando o inverno realmente começar a apertar… certamente até dezembro ou janeiro, e se as casas não forem reparadas… pode haver outra onda interna de migração, de pessoas se deslocando internamente”.

O presidente da Ucrânia, Volodimir Zelenski, disse a doadores internacionais nesta semana que o país precisa de cerca de 55 bilhões de dólares — 38 bilhões para cobrir o déficit orçamentário do próximo ano e mais 17 bilhões para começar a reconstruir infraestrutura crítica, incluindo escolas, casas e instalações de energia.

Autoridades ucranianas sublinharam que precisam de assistência financeira constante e previsível para manter o governo em funcionamento e ao mesmo tempo começar a fazer reconstruções e reparos críticos.

A resposta ao pedido de Zelenski — feito durante reuniões anuais do Fundo Monetário Internacional e do Banco Mundial — em muitas outras reuniões realizadas na última semana é promissora, disse Banerji, em entrevista à Reuters.

Fonte: R7