(Foto: Divulgação)

Apenas um em cada quatro pacientes internados devido à Covid-19 ficou totalmente recuperado após um ano, segundo um estudo britânico publicado neste domingo (24), que afirma que ser do sexo feminino ou obeso aumenta o risco de manutenção de problemas de saúde.

Esse estudo, apresentado no Congresso Europeu de Microbiologia Clínica e Doenças Infecciosas em Lisboa e publicado na revista The Lancet Respiratory Medicine, utilizou dados de pacientes adultos de 39 hospitais do Serviço Nacional de Saúde (NHS, na sigla em inglês) do Reino Unido, entre 7 de março de 2020 e 18 de abril de 2021.

A recuperação foi avaliada pelos resultados de diferentes exames em 2.320 pacientes cinco meses após a alta hospitalar e em 33% deles um ano depois.

Os pesquisadores coletaram principalmente amostras de sangue na visita de cinco meses para testar a presença de várias proteínas inflamatórias.

O estudo constatou que a proporção de adultos que se recuperaram totalmente não mudou de modo significativo entre cinco meses (25,5%) e um ano (28,9%) após a alta hospitalar.

Características como ser do sexo feminino, obeso e ter recebido ventilação mecânica no hospital foram associadas a uma menor probabilidade de se sentir totalmente recuperado em um ano, acrescenta a pesquisa.

Entre os sintomas mais frequentes da chamada “Covid longa” estão cansaço, dores musculares, desaceleração física, falta de sono e falta de ar.

Fonte: Portal R7