África do Sul acelera campanha de vacinação em meio a aumento repentino de casos de Covid

(Foto: Reprodução)

A África do Sul vem acelerando sua campanha de vacinação contra a Covid-19 com a implantação de postos móveis, dentro de shoppings e em estações de transporte público, para combater um rápido aumento nos casos da doença uma semana após a descoberta da variante ômicron.

Os novos casos diários quase dobraram. Na terça-feira (30), eram 4.373 os infectados em 24 horas, já no dia seguinte, este número foi para 8.561, de acordo com as estatísticas oficiais. As autoridades sanitárias acreditam que o número deve ainda aumentar.

Anúncio

“Queremos que as famílias estejam seguras nesta época de festas”, disse o Ministro da Saúde Joe Phaahla na quinta-feira (2).

“Antes de ir para casa, antes de sair de férias, certifique-se de proteger a si mesmo e àqueles que você ama. Se você visitar seus pais e eles ainda não tiverem sido vacinados, vá com eles ao local de vacinação mais próximo. Isso pode salvar suas vidas.”

O Diretor do Centro Africano para Controle e Prevenção de Doenças, John Nkengasong, concordou. Em entrevista coletiva, ele afirmou que, embora pouco se saiba sobre a eficácia das vacinas contra a ômicron, o que temos hoje “é melhor do que nada”.

“Nós temos que usar as vacinas”, disse Nkengasong.

A província de Gauteng, onde fica a maior cidade da África do Sul, Joanesburgo, e a capital, Pretória, é um foco de novas infecções, com mais de 70% dos novos casos.

As autoridades de Gauteng dizem que estão “se preparando para o pior”, aumentando os leitos hospitalares e reabrindo hospitais de campanha em antecipação ao aumento das internações de pacientes com Covid-19.

Rastreamentos indicam que a variante ômicron, que foi relatada pela primeira vez na África do Sul, está se espalhando rapidamente e já chega a cinco das nove províncias da África do Sul.

Não se sabe ainda quantos dos novos casos estão ligados diretamente à variante ômicron. Isso porque os cientistas só têm capacidade de fazer o sequenciamento genético completo em um pequeno número de testes positivos.

No entanto, parece que o ômicron está “se tornando rapidamente a variante dominante” na África do Sul, de acordo com uma declaração do Instituto Nacional de Doenças Transmissíveis. O instituto disse que 74% das 249 amostras sequenciadas em novembro foram identificadas como ômicron.

Fonte: G1