Na sexta-feira, Malu Gaspar revelou que ela foi convidada pelo presidente eleito Lula e aceitou. O nome de Margareth foi patrocinado pela futura primeira-dama, Janja da Silva, que defendia um artista para o cargo e já havia convidado a cantora para o show da posse do marido. Margareth será, ao mesmo tempo, a primeira mulher e a primeira pessoa negra anunciada no ministério de Lula, além de vir de um estado onde ele teve uma vitória expressiva.

O convite a Margareth foi recebido com festa entre artistas como Caetano Veloso, Maria Gadú e Elisa Lucinda. Mas políticos e produtores culturas manifestaram preocupação com a pouca experiência política e administrativa da cantora. O produtor Luiz Carlos Barreto foi um dos que criticaram abertamente a escolha. “Foram seis anos de demolição. Esse ministro tem que ser um grande gestor, que conheça bem as entranhas de Brasília”, escreveu. Já Elisa Lucinda lembra que Gilberto Gil, ministro da Cultura na primeira gestão de Lula, se cercou de técnicos competentes no ministério.