Uma megaoperação policial realizada no Nordeste, durante um mês (entre 15 de agosto e 14 de setembro deste ano), resultou na captura de 559 suspeitos de integrar grupos criminosos (sendo 471 adultos presos e 88 adolescentes apreendidos) e na apreensão de R$ 2,4 milhões em bens somente no Ceará.
Segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS-CE), os números do Estado foram os mais expressivos da Região – que conta com 9 estados: 42,3% das prisões e 34% do valor apreendido na segunda fase da Operação Cangalha ocorreram em território cearense.
1.320
suspeitos de integrar os coletivos criminosos (a maioria facções) foram capturados em todo o Nordeste. Enquanto R$ 7,1 milhões foram retirados desses mesmos grupos.

ARMAS APREENDIDAS 

Outro número de destaque obtido pelas forças policiais no Ceará foi o de armas de fogo apreendidas: 88, o que representou 35,3% das 249 armas retidas em toda a Região, de acordo com a Secretaria da Segurança Pública do Ceará.
A ofensiva policial, no Ceará, foi coordenada pela Coordenadoria Integrada de Planejamento Operacional (Copol), da SSPDS-CE, em parceria com a Polícia Federal (PF); e em âmbito nacional pela Secretaria de Operações Integradas (Seopi), do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP).
No Ceará, a Operação ainda teve a participação das Coordenadorias Integrada de Operações de Segurança (Ciops), de Inteligência (Coin) e Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer), da SSPDS-CE; da Superintendência de Pesquisa e Estratégia de Segurança Pública (Supesp), da Polícia Militar do Ceará (PMCE), da Polícia Civil do Estado do Ceará (PC-CE) e da Secretaria de Administração Penitenciária (SAP).
O Ministério da Justiça e Segurança Pública acrescentou, na última quinta-feira (17), que, em todo o Nordeste, 869 mandados judiciais foram cumpridos e pelo menos 100 veículos apreendidos, além de ordens judiciais para o bloqueio de R$ 21 milhões expedidas.
Fonte: Diário do Nordeste

PODCAST MAIS JUSTIÇA – BPC na seara administrativa, o que mudou com a nova portaria